Trilha na Cordilheira do Himalaia

Caminhar pelas montanhas é a paixão de Elda Franco, 39 anos. Nas férias, esta fiscal de Tributos, da Secretaria Estadual da Fazenda troca o salto alto por botas de trekking. Em 96, a trilha escolhida foi de Lukla a Gokyo, na cordilheira do Himalaia, no Nepal. Este país asiático, situado entre a Índia e a China, congrega as maiores montanhas do planeta. Lá está o Everest (8.848 metros de altura), considerado o topo do mundo.

De Porto Alegre, ela foi a São Paulo, Londres, Nova Délhi, Katmandu e Lukla (2mil metros de altura) - início da caminhada. Em 12 dias, Elda percorreu diversos vilarejos. A meta foi chegar aos 5.800 metros. Andava das 8h às 16h30min e chegou a enfrentar 17 graus negativos. "O contato com a natureza me revigora. Gosto de conhecer civilizações, que ainda não sofreram a interferência da mídia".

Em 94, repetiu os passos que os incas seguiam para chegar a cidade sagrada de Machu Picchu, no Peru. Foram quatro dias subindo e descendo montanhas. Nesta trilha, o caminhante usa um trem de Cuzco até o km 88. A partir deste ponto começa a subida, que tem seu ápice nos 4.200 metros. Tomada pelo gosto da aventura, Elda também praticou rafting, nas corredeiras de Três Coroas.

Neste ano, Elda realizou mais um sonho - Santiago de Compostela. Foram 24 dias caminhando. Partiu de Puente de la Reina. Mas vencer 739 quilômetros não foi fácil. No quinto dia, os pés já se enchiam de bolhas. Ela teve de deixar as botas de lado, fazer ataduras e seguir de sandália. Foi um sofrimento. Mas o contato íntimo consigo mesma a fez superar a dor. O clima também ajudou, oscilava entre 10 e 20 graus, bem agradável para esta empreitada. E apenas um dia de chuva. Nas costas uma mochila de 9 quilos e no coração o sentimento de purificação. Elda encontrou pessoas legais pelo trajeto, entre elas três gaúchos, três paulistas, um carioca, um mineiro e duas pessoas de Brasília. "A receptividade dos espanhóis aos peregrinos é grande", comenta. Está em seus planos voltar ao Nepal e subir o Kilimanjaro, na África.

[Estranho fascíno]
[De bicicleta até o topo da América Latina]
[Descer canyons exige técnica]
[Quando a parede é uma rocha]
[Posse com festa popular]